12 de Fevereiro de 2012

A FÉ É PELO OUVIR E O OUVIR A PALAVRA DE DEUS

Segundo Rom. 10:17: “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.”
Devemos perguntar: Qual o verdadeiro significado deste texto? Este texto contém uma afirmação muito importante quanto à natureza e origem da verdadeira fé. A fé genuína não é uma confiança cega que se só se coloca em evidência quando falta a evidência adequada. Fé é a nossa convicção no que diz respeito às coisas que não podemos ver (Heb. 11:1), e esta convicção deve estar fundada no conhecimento, um conhecimento baseado na Palavra de Deus, a mensagem referente a Cristo. Como meio para desenvolver a fé transformadora e permanente, não há substituto para o estudo regular e fervoroso da Bíblia.
Ainda assim, e tomando o texto numa forma muito simples, perguntemos: Será que toda aquela multidão que viu Jesus multiplicar os pães e peixes não o ouviram pregar? Todos eles vieram a crer que Jesus era o Filho de Deus?
Porventura, os fariseus não estavam no meio do povo a ouvir os ensinamentos de Jesus tentando pegá-lo nalguma falta? Fé foi gerada no coração daqueles homens?
Será que Judas Iscariotes não esteve todo o tempo do lado de Jesus e não o ouviu pregar?

Ou, as pessoas que mataram Estevão a pedradas não o ouviram pregar a palavra de Deus a eles, e não viram a sua face como de um anjo?
E tantos outros mais que tem ouvido a mensagem, que estão cansados de ouvir falarmos sobre Jesus.

Talvez você já tenha ouvido falar tantas vezes e talvez pense que por ter ouvido tanto então fé é gerada no seu coração. Percebemos que o ouvir a palavra de Deus não é apenas o sentido da audição que está ligado ao texto, mas algo mais profundo.

"ORA, a fé é o firme fundamento das coisas que
se esperam, e a prova das coisas que se não vêem."
Primeiramente, o que é fé? Segundo Hebreus 11:1, fé é a certeza e convicção de fatos que não podemos ver. Ou seja, temos total certeza que acontecerá mesmo que todas as circunstâncias digam não.
Fé em Jesus significa dizer que cremos ser Ele o Filho de Deus, aquele que morreu em nosso lugar, reconhecer o nosso estado pecaminoso e a necessidade de um Salvador, e crer que Jesus é este Salvador. Crer que Ele pagou o preço do
nosso pecado se fazendo maldito sendo pendurado no madeiro, que morreu e ressuscitou ao terceiro dia, a fim de nos justificar das nossas iniquidades.

A Fé é gerada no nosso coração quando de fato ouvimos a palavra de Deus. Como sei que ouvi a palavra de Deus? Ouvir pode significar muitas coisas. Mas posso ouvir sem entender. Se eu for à China, posso perfeitamente ouvir qualquer chinês falar comigo, porém não compreenderei nenhuma palavra que disser. Pois não sei falar mandarim.
A palavra ouvir tal como é apresentada aqui é akoê, que aparece duas vezes neste versículo. No (v.16), akoê traduz-se como “anúncio” ou “pregação” e resulta literalmente “o que foi ouvido”. Se aqui é dado o mesmo significado a akoê, torna-se possível a seguinte tradução: “Quem creu o que ouviu de nós? De modo que a fé vem do é ouvido, e o que é ouvido vem da Palavra de Deus”. Esta tradução torna mais evidente a relação entre o versículo 16 e o 17.

Acontece a mesma coisa com as coisas espirituais. Vejo que o problema de muitos evangelistas, é querer que as pessoas que os ouvem repitam com eles uma oração para então os declararem salvos. Porém não podemos fazer isto. Não sabemos se de fato a pessoa OUVIU, ou se a pessoa simplesmente está seguindo mais um RITO.

A Fé vem por ouvir a palavra de DEUS. Quando a palavra é de Deus, ela gera em nós uma compreensão do nosso pecado. Conduz-nos ao arrependimento, pois a fé é precedida e acompanhada de arrependimento.

Quando de fato compreendemos a palavra de Deus, os nossos olhos são abertos e passamos a ver o nosso estado espiritual que é terrível. A partir daí podemos ver Cristo como Salvador para nós que nos tira do império das trevas, nos dá novas vestes, nos limpa e nos traz para o Reino do seu amor.

Você tem fé? Ou apenas tem seguido rituais?

A Fé leva-nos a aproximar-nos de Deus. Queremos mais d´Ele. Buscamos santidade. Queremos agradar-Lhe. Nos colocamos na posição de servos e pecadores que carecem sempre da graça e misericórdia de Deus.

O ritual leva-nos à religiosidade e tradicionalismo. Justificamos os nossos pecados e acreditamos que estamos salvos porque um dia fizemos uma oração. Nos colocamos na posição de juízes para os outros.