19 de Abril de 2012

A DOUTRINA DO SANTUÁRIO

INTRODUÇÃO: “E me farão um santuário, e Habitarei no meio deles”. Êxodos 25:8
• Habitar com o seu povo e receber adoração, este foi sempre o desejo de Deus.
• Desde a história dos nossos primeiros pais há um conflito na experiência de adoração dos filhos de Deus.
• O santuário se bem compreendido, na sua essencia revela, a vontade de Deus para o seu povo.
• Como Adventistas do 7º Dia, temos um corpo de 28 doutrinas. Das 28 doutrinas, 3 nos distinguem de todas as demais denominações, são elas: O Dom de Profecia, a visão cosmológica do conflito entre o bem e o mal e a doutrina do santuário.
• A doutrina do santuário, funciona como uma plataforma para compreensão maior das demais crenças Adventista.

I. OS DOIS SANTUÁRIOS – TERRESTRE E CELESTIAL

A. O SANTUÁRIO TERRESTRE
Em Êxodos 25:8 Deus dá uma ordem a Moisés para a construção do santuário. Este lugar seria um espaço onde Deus, de forma simbólica habitaria, fundamentalmente, onde se revelaria. local da habitação de Deus, onde simbolicamente, o povo de Israel, através dos sacrifícios de animais buscaria o perdão pelos pecados e vivenciaria a experiência da adoração.
• Toda instrução nos seus mínimos detalhes fora concedida a Moisés.
• Êxodo 25:9 – “Conforme tudo o que Eu te mostrar para modelo do tabernáculo e para modelo de todos os seus móveis, assim mesmo o fareis”.
• O ritual do santuário terrestre era símbolo, figurado do outro santuário.
• Foi através de Cristo no calvário que verdadeiramente todo o sistema de sacrifícios de animais realizados no santuário terrestre teve a sua autêntica legitimidade. Ou seja, sem Cristo tudo o mais perdia o seu valor. Foi o sacrifício de Cristo que veio ratificar o que ocorria no santuário terrestre.

B. O SANTUÁRIO CELESTIAL

Com a morte de Cristo na cruz “o véu rasgou-se de alto a baixo” (Mateus 27:51) mostrando que todo o ritual no santuário terrestre perdera o seu significado.
“Cristo morreu na hora do sacrifício da tarde ( cf. Mateus 27:45,46 e 50), como “O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”(João 1:29), e “o antítipo de todas as ofertas sacrificais”.
“Quarenta dias após sua ressurreição (cf. Actos 1:3), Cristo Ascendeu ao céu, onde iniciou o Seu ministério no santuário/templo. Evidências da existência deste santuário são encontradas no Antigo Testamento (Ver Salmos 11:4; 96:6, Isaías 6:1; Daniel 8:14; 9:24; etc.), e bem mais explicitamente na epistola aos Hebreus, que tencionava transferir a atenção dos judeus – Cristãos do sacerdócio e do templo terrestre para o sacrifício de Cristo no santuário Celestial (Ver Hebreus 4:14 – 5:10; 7:1-10-25).

II. O SANTUÁRIO BASE DAS CRENÇAS ASD

“Os adventistas consideravam o santuário e os 2300 dias como “o principal pilar da fé daqueles que aguardam o Senhor, e O esperam para logo”
“J. N. Andrews referiu-se ao santuário em 1867 como “a grande doutrina central” do sistema doutrinário adventista, “pois ele conecta inseparavelmente todos os pontos na fé deles, e apresenta o assunto como um grande todo.”
“Uma das descrições mais significativas da função integrativa do santuário foi sugerida por Uriah Smith em 1877, através da analogia da roda de uma carroça.
“Na grande roda da verdade, o santuário ocupa essa posição central. Nele as grandes verdades da revelação encontram o seu ponto focal.
“Em 1881, Smith acrescentou que o assunto do santuário é a “grande verdade central do sistema de verdades do nosso tempo”...
“Comentando a experiência de 1844, Ellen White declarou em 1884 que Daniel 8:14 foi “a passagem que, acima de todas as outras, havia sido tanto a base como a coluna central da fé do advento.” Ela explica que “o assunto do santuário” “revelou um sistema completo de verdades, conectadas e harmoniosas”.

• Na doutrina do santuário encontramos a base para as demais crenças da nossa igreja.
• O santuário funciona como plataforma para as demais doutrinas.

A. O Sábado - Apoc. 11:19
B. A Lei de Deus - Apoc. 11:19
C. Nova Terra - João 19:29
D. Milênio - Lev. 16:20 a 22
E. Segundo Advento - Isa. 63:1-6
F. Ordem - Núm. 4:17-20
G. Dízimo - Lev. 27:30-34
H. Vida apenas através de Cristo - Lev. 4:29
I. Reforma de Saúde - Lev. 23:27-29
J. Santificação e Justificação pela Fé - Lev. 16:23
K. A Santa Ceia - Lev. 7:15-21
L. Julgamento - Ecle. 12:13,14
M. Modéstia Cristã - Deut. 22:5
N. Batismo - Êxo. 40:12 a 16
O. Ministério dos anjos - Êxo. 25:20
P. Educação Cristã - Êxo 12:26,27
Q. Dom de Profecia - Êxo. 28:30
R. Assistência social - Êxo. 22:22-24
S. Destino dos Ímpios - Lev. 6:10,11
T. Arrependimento - Lev. 4:27-29

Conclusão
• Ao analisar a importância da doutrina do santuário não nos resta nenhuma dúvida de que Deus deseja habitar com o seu povo.
• Quando Deus habita com o seu povo através do santuário ele faz uma reforma total na vida religiosa e prática do crente.
• O santuário terrestre apontando para o santuário celestial nos indica que nada temos a temer. Jesus Cristo no santuário celestial é nosso Sumo Sacerdote que por nós intercede. Em breve voltará como rei para nos levar eternamente para o reino. Então reinaremos com Ele para todo o sempre.
• Precisamos crer no poder da mensagem do santuário.

Apelo: Neste dia, gostaria você de receber em seu coração todas as bênçãos reveladas no santuário? Que Deus te abençoe. Amém!